BLOCKCHAIN: O FUTURO DOS NEGÓCIOS DIGITAIS ULTRAPASSA AS CRIPTOMOEDAS

Para muitas pessoas blockchain é sinônimo de criptomoeda, por ser frequentemente associado ao bitcoin. Mas os termos não são sinônimos: blockchain é o que viabilizou a criação do bitcoin e de outras moedas digitais.

O fato é que o blockchain está passando de uma tecnologia periférica usada exclusivamente para criptomoeda para uma que tem papel fundamental como tecnologia subjacente em várias soluções de negócios.

A tecnologia do blockchain permite, por exemplo, o uso de smart contracts para a realização de transações, algo que potencialmente pode tornar os negócios muito mais fáceis.  Esses contratos funcionam entre dois negócios, “B2B”, e entre consumidores e negócios, “B2C”. Eles também são úteis para projetos de curto prazo e podem eliminar a necessidade de uma terceira entidade, permitindo mais transparência entre companhias e indivíduos nos negócios.

Na área de entretenimento, a tecnologia do blockchain vai possibilitar que artistas, gravadoras, plataformas e ouvintes tenham uma relação mais linear. O artista, por exemplo, poderá saber onde, quando e como sua música foi consumida, o que facilita o processo de cobrança e checagem dos direitos autorais.

Na indústria cinematográfica, o lançamento do 25° filme do James Bond, ocorrido em outubro, arrecadou US$ 119 milhões na estreia internacional. Desde a publicidade até a captação de recursos, o uso da tecnologia de criptoativos e blockchain pelos estúdios garantiu a satisfação dos cineastas, varejistas e espectadores, ao modernizar o modelo de produção e distribuição de filmes.

O filme é a primeira grande produção de Hollywood a utilizar tais recursos. Com o uso da tecnologia, a indústria do cinema está prestes a reinventar seus negócios, garantindo transações seguras, transparentes e rastreáveis ​​em todo o mercado.

Com relação ao mercado de moda, a falsificação de roupas e acessórios configura uma das grandes ameaças para a indústria do luxo. Apenas em 2017, o segmento perdeu mais de U$30 bilhões devido à compra online de produtos falsos, de acordo com o relatório Global Brand Counterfeiting Report.

Diante deste cenário, o Grupo Prada e o Richemont se uniram à LVMH no consórcio Aura Blockchain, que criou um mecanismo de rastreabilidade dos produtos. Na prática, cada artigo recebe um certificado irreproduzível, como uma identidade, e as informações passam a ser protegidas digitalmente. A tecnologia funciona como um grande cofre de dados.

Outro importante desafio da indústria da moda é o desenvolvimento sustentável, impossibilitado devido à complexidade da cadeia de suprimentos e os impactos ambientais e sociais. Através do processo de rastreabilidade, uma das principais características do blockchain, é possível prestar contas de todo esse ecossistema, com a conexão de ponta a ponta em uma rede colaborativa, onde os dados são registrados para garantir o uso de práticas sustentáveis e a origem dos materiais.

Nesse caso, o blockchain assegura um padrão de qualidade que preserva a integridade das empresas que querem reduzir seus impactos ambientais através do uso de materiais eco amigáveis e de práticas sociais.

A atuação de Bichara e Motta Advogados nas áreas que envolvem Blockchain já é uma realidade. Mais informações em www.bicharaemotta.com.br.