Cliente Alecsandro é liberado para jogar após concessão de efeito suspensivo de sua pena preventiva

Sócios Bichara Abidão Neto e Pedro Fida afastaram a suspensão preventiva imposta ao atacante e cliente Alecsandro devido à suposta violação de regra antidoping.

Alecsandro foi acusado erroneamente por suposta violação de regra antidoping e seu processo corre perante o Tribunal de Justiça Desportiva da Federação Paulista de Futebol.

Trata-se de um ‘falso doping’ já que o resultado analítico adverso de Alecsandro ocorreu a partir de uma reação química em seu fígado – algo nunca antes reportado em exames antidoping – a partir da substância flutamida, presente em uma loção capilar utilizada pelo atleta. Ocorre que a partir desta reação química originou-se um metabólito da andarine, mais especificamente a O-dephenylandarine, esta sim uma substância proibida da Classe S1.a de acordo com a Lista de Substâncias Proibidas da WADA (edição 2016).

Após investigações bioquímicas e médicas, o escritório reportou este caso de ‘falso doping’ para a WADA, que confirmou o entendimento da defesa do atleta.

O julgamento final de Alecsandro ocorrerá no dia 26 de setembro de 2016.

 

Para maiores informações: http://glo.bo/2c8uauX